Muitas pessoas pensam que só as mulheres sofrem abusos de seus parceiros mas na realidade isso não é verdade. Existem muitos homens passando por situações como essas. Homens pacíficos que não gostam de violência e que precisam de suas parceiras para dividir as despesas com filhos e com a casa também podem ser alvo de abuso. Mas o objetivo dessa matéria é informar as pessoas que se encontram numa situação parecida que há uma luz no fim do túnel. Muitas pessoas criticam essas vitímas porque elas não deixam seus abusadores mas criticar é mais fácil do que tentar entender a relação de amor, ódio, dependência, submissão, humilhação e resignação que existe entre esses casais ou parceiros. Julgar é a última coisa que devemos fazer e temos como obrigação moral e de compaixão ajudar, principalmente as mulheres que são as  que mais sofrem com o abuso, devemos informar essas pessoas que há ajuda no caso que elas (es) queiram dar um basta no abuso.

O Governo de Toronto tem no seu programa de casas subsidiadas – Housing Connections, uma lista de espera muito longa que vai de 10 a 12 anos. Porém existem casos onde há prioridades, que são: doentes terminais e pessoas que temem pela segurança pessoal e de suas famílias por causa de abuso por parte de uma pessoa com quem elas vivem. Para ter prioridade nas casa do governo é preciso que a pessoa e sua família esteja sofrendo violência sexual ou fisíca, ou teve suas coisas destruídas intencionalmente, ou sofre abuso verbal, e/ou restrição financeira por parte do abusor. Um dos fatos só é suficiente para caracterizar o abuso. Como se pode provar o abuso na hora de registrar para uma casa do governo:

w Um Boletim de Ocorrência da polícia indicando que a vitima sofreu abuso de seu parceiro;

w Um relatório sobre machucados ou marcas causados pelo parceiro (a);

w Um relato escrito pela vítima dizendo que foi forçada (o) pelo parceiro (a) a ter relações sexuais com ele (a);

w Um relatório relatando tentativa (s) por parte do parceiro (a) de matar a vítima ou alguém de sua casa (filhos);

w Um relatório sobre uso de arma por parte do parceiro (a) contra a vítima ou alguém de sua casa;

w Um relatório sobre todas as ameaças feitas contra a vítima ou alguém de sua casa;

w Um relatório sobre abuso financeiro por parte do parceiro (a), por exemplo, controlando o dinheiro que a vítima recebe com seu próprio trabalho.

w Um relatório sobre agressões e perseguições sofridas pela vítima ou outra pessoa de sua casa pelo seu parceiro (a).

Se vocês conhecem alguém que está vivendo em uma situação como essa informe que há meios de sair dessa relação e receber uma casa para viver paga pelo governo para ela (e) e seus filhos (as) ou outros dependentes viverem em segurança. O governo também auxilia com ajuda mensal para comida, transporte para atender uma escola e recursos para aprender uma profissão para que esta pessoa adquira sua própria independência financeira. Existem também grupos de auto-ajuda para dar suporte psicológico, assistência legal gratuíta para o divórcio e pensão para os filhos e também uma ordem judicial para manter o abusador metros de distância dessa pessoa e de sua família.

Quem está precisando de ajuda podem contactar  Valéria Sales do Centro Abrigo no Duffering Mall (416) 534-3434.  Todos os serviços são gratuítos e sigilosos, porém os recursos podem não estar disponíveis se a pessoa não tiver nenhum estado imigratório. De qualquer forma venham para se informar, conheça seus direitos.

LEAVE A REPLY