Meu blog hoje vai contar a minha mais recente aventura. O Fernando Lusvarghi que é um dos meus contatos no Facebook postou um link no meu muro falando de um projeto chamado Arrivals. Este é um projeto de arte que vai representar a abertura da contagem regressiva para os jogos de 2015 em Toronto. Neste blog eles pediam as pessoas que contassem suas histórias como imigrantes no Canadá e algumas seriam escolhidas para representar os novos cidadãos canadenses.

Resolvi escrever a minha que não tinha nada de especial mas que foi de superação para aprender o inglês e coragem para mudar de campo profissional para poder me estabelecer no Canadá. Conheci meu marido na internet, ele estava no Canadá e eu no Brasil. Estava terminando a faculdade de Direito e achei que aquela amizade virtual não daria em nada, passamos um ano nos comunicando pela internet, telefone e nos vendo através das câmeras do computador. Um dia meu namorado virtual me convidou a vir para o Canadá e eu disse que só ia se fosse legalmente com permissão para viver no país. Um belo dia recebo pelo correio um formulário de patrocínio da imigração do Canadá já assinada pelo meu namorado virtual requerendo minha assinatura para ser processada. Naquela hora percebi que ele estava falando sério e preenchi minha parte e voltei os documentos para o consulado canadense em São Paulo. Neste meio tempo aconteceu o atentado de Setembro 11, achei que os documentos não iam ser processados por questões de segurança devido o acontecido na America do Norte. estava enganada de novo em menos de 3 meses recebi os documentos confirmando minha residência permanente no Canadá.

Logo depois de minha formatura me mudei para o Canadá, me apaixonei pelo namorado virtual, nos casamos e tivemos um filho lindo que hoje tem 9 anos. Não falava inglês e me sentia um pouco isolada, não conseguia imaginar o que eu poderia fazer no Canadá, uma coisa tinha certeza, não podia ser advogada. Uma das maiores características de um advogado é sua habilidade de jogar com as palavras, como eu poderia fazer isso numa língua que eu não dominava. Me sentia um pouco perdida mas continuava frequentando a escola de inglês.

A imigração do Canadá coloca à disposição dos novos imigrantes tudo o que ele precisa no seu processo de integração no país. Eu ia para a escola de inglês com meu filho que tinha 18 meses, eles tinham uma creche na escola para que eu não tivesse que parar de estudar para cuidar dele. Frequentei essa escola por quase dois anos, depois disso, percebia que o nível das aulas não mais atendiam às minhas necessidades de inglês. Procurei por um curso de ESL que e inglês como segunda língua, este curso e também financiado pela imigração mas neste caso pagamos um pouco. Aprendi a escrever em inglês, ordenar minhas ideias no papel que é diferente do que costumamos aprender no Brasil. Como estudei Direito, aprendi a escrever de forma que somente eu ou alguém que trabalha na área jurídica entendia. Percebi o quanto é importante uma linguagem que todos pudessem entender, ou seja, aprendi a descomplicar.

Fui bem e decidi ir fazer uma college que aqui no Canadá é como um curso técnico profissionalizante mas que tem peso de uma faculdade. Fiz o curso de assistente social na Sheridan college e me formei com altas honras. Estava muito feliz e orgulhosa de mim mesma pois havia chegado muito longe. Nunca imaginei que eu poderia formar com altas honras em uma college no Canadá quando no Brasil sempre fui uma aluna regular. Eu percebi que o que fazia a diferença é o jeito com que as pessoas são educadas aqui. No Brasil as provas são feitas para provar que o professor ou avaliador sabe muito mais do que você. No Canadá as provas são feitas para medir o quanto você aprendeu com seus professores. É por isso que no Brasil não há juízes suficientes e eles gabam que são poucos os que conseguem passar no concurso para juízes. As provas de concurso provam que os avaliadores que fazem as provas são vaidosos e querem mostrar que ninguém sabe quanto eles, por isso quase ninguém passa.

Fiz estágio em uma organização que ajuda imigrantes em Toronto e um mês antes de minha formatura na College recebi um contrato de trabalho. Sou considerada até hoje uma estudante de sucesso e recebo convites para dar palestras para os estudantes do programa de assistência social. Já estou no meu segundo emprego no Canadá, trabalho em uma organização patrocinada pela imigração do Canadá que se chama Peel Career Assessment Services Inc. Sou assessora profissional, dou assistência a profissionais formados no exterior para encontrar trabalho no Canadá. Ou seja, meu trabalho se resume em preparar essas pessoas para superarem os obstáculos e barreiras comuns aos novos imigrantes. Amo meu trabalho, não me arrependi de ter começado tudo de novo e AMO O CANADÁ!

Os organizadores do projeto Arrivals gostaram da minha história e fui escolhida junto com outros imigrantes a representar os novos Canadenses nesse projeto de arte. Minha história saiu no Toronto Star, tirei fotos, sai nas TVs e tive meus 15 minutos de fama. Agora sigo o caminho que escolhi e que amo de ajudar novos imigrantes chegados ao Canadá. Espero que gostem das fotos que tirei no projeto Arrivals.

2 COMMENTS

  1. Olá, gostaria de fazer um curso de ingles e estagio em Toronto.
    Gostaria de trabalhar na minha área, que é comunicação social. Vc tem alguma dica? É confiável ir nesses programas da escola de ingles chamados work And travel?
    Obrigada!

    • Oi Bruna,
      Obrigada pelo seu email, infelizmente meu conheco sobre esses programas e muito limitado. Eu trabalho mais com pessoas que ja sao residentes permanentes. Sei que existem programas ruins como tambem programas bons. Tem um grupo chamado Brazuca (Toronto) que e composto de estudantes, tente se conectar a eles e pessam recomendacoes sobre esses programas de ingles e estagio.

      Espero ter ajudado

      Suely

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here